Por que a SpaceX perdeu ‘até 40’ satélites Starlink em uma tempestade solar? – Cavok Brasil


A SpaceX perdeu quase todos os satélites Starlink lançados na semana passada devido a uma tempestade solar, de acordo com um comunicado da empresa em 8 de fevereiro.

Em 3 de fevereiro, a empresa aeroespacial liderada por Elon Musk lançou 49 de seus satélites Starlink do Centro Espacial Kennedy da NASA, na Flórida, no topo de um foguete Falcon 9. Logo após o lançamento, os satélites foram implantados em sua órbita inicial a cerca de 130 milhas acima da superfície da Terra (a SpaceX os coloca em uma órbita baixa no caso de sofrerem um mau funcionamento e precisarem ser desorbitados rapidamente). Os satélites, operando normalmente, foram programados para subir para uma órbita mais alta.

Uma tempestade geomagnética que varreu a Terra na sexta-feira tinha outros planos.

As tempestades geomagnéticas se formam quando uma rajada de vento solar rico em plasma, também chamada de ejeção de massa coronal, varre o campo magnético da Terra. Essas tempestades periódicas podem aquecer a atmosfera da Terra, aumentando a densidade atmosférica (e arrasto) em órbitas mais baixas. O salto repentino no arrasto atmosférico pode ser fatal para satélites nessas órbitas. Incapaz de manter sua posição em órbita, eles eventualmente queimam na reentrada. De acordo com os dados de GPS a bordo dos satélites, “a velocidade de escalada e a gravidade da tempestade fizeram com que o arrasto atmosférico aumentasse até 50% mais do que durante os lançamentos anteriores”, segundo comunicado da SpaceX.

Uma vez que a empresa identificou o problema, colocou os satélites afetados em “modo de segurança”, reposicionando-os para voar de lado em um esforço para reduzir o arrasto. Ele também trabalhou com o 18º Esquadrão de Controle Espacial da Força Espacial – que monitora a órbita da Terra para possíveis colisões de sua sede na Califórnia na Base da Força Espacial Vandenberg – e a empresa de rastreamento de lixo espacial LeoLabs, com sede na Califórnia, para escanear a órbita dos satélites desativados usando radar.

“Análises preliminares mostram que o aumento do arrasto nas baixas altitudes impediu que os satélites saíssem do modo de segurança para iniciar as manobras de elevação da órbita, e até 40 dos satélites reentrarão ou já reentraram na atmosfera da Terra”, disse a SpaceX em seu comunicado.

Os satélites Starlink desativados, programados para se juntar à frota da empresa de mais de 1.800 satélites já em órbita, não são uma ameaça para os satélites próximos e queimarão durante a reentrada. Embora seja um final dramático para a missão, não é uma perda total para o projeto. A SpaceX planeja adicionar dezenas de milhares de satélites à sua constelação em um esforço para melhorar o acesso à Internet de alta velocidade em todo o mundo.

O clima espacial representa uma ameaça aos satélites em órbita, aos sistemas de navegação e à rede elétrica da Terra.

Em casos graves, o clima espacial pode interferir nos sistemas elétricos dos satélites e desativá-los. (Esse não parece ser o caso aqui, no entanto.) Por exemplo, uma explosão de radiação cósmica condenou a missão KickSat em 2014, quando redefiniu o relógio mestre dentro do dispensador de satélites do tamanho de miniaturas.

O clima espacial também representa um risco para os sistemas de comunicação e navegação da Terra e pode enfraquecer a rede elétrica. Uma dessas tempestades, o Evento Carrington de 1859, destruiu os fios do telégrafo, provocando incêndios em todo o mundo. A NASA e outras agências ao redor do mundo monitoram o clima espacial em um esforço para prever esses eventos e desenvolver tecnologia projetada para melhor suportá-los. Não há informações se a SpaceX antecipou esse problema.

Parece que os satélites da SpaceX estavam simplesmente na órbita errada na hora errada.



Source link

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Main Menu