Os 5 melhores caças que os EUA decidiram não comprar – Cavok Brasil


A história da aviação dos EUA está repleta de caças de combate de alta capacidade que os militares não compraram. Os oficiais precisam equilibrar o custo do caça em relação ao número de que precisam para as missões que têm em mente. Esses são os cinco melhores caças que não sobreviveram a essa avaliação.

Para cada F-35 Joint Strike Fighter ou F-22 Raptor que entra em serviço, há uma longa lista de caças concorrentes que não conseguiram entrar no mercado por um motivo ou outro.

Às vezes, esses caças não são escolhidos porque o jato que o Tio Sam escolheu era simplesmente o melhor competidor… mas nem sempre é assim que essas decisões são tomadas.

Como todas as forças militares, as Forças Armadas dos Estados Unidos precisam equilibrar qualidade e capacidade. Em outras palavras, não importa se você tem 300 dos caças mais avançados do planeta, se você precisa de 500 caças para cumprir sua missão, então os oficiais de defesa devem equilibrar o custo das capacidades avançadas do lutador contra a quantidade (ou número) de caças que eles precisam para fazer a missão.

Neste exemplo, pode significar a compra de apenas 100 desses caças avançados, juntamente com 400 plataformas mais baratas e menos capazes que podem atender aos requisitos da missão em questão.

O YF-12 ao fundo e o A-12 em primeiro plano.

Na verdade, este exemplo específico (com diferentes números de linha superior) reflete a justificativa que a Força Aérea dos EUA forneceu recentemente para a compra de novos F-15EXs, apesar de sua falta de capacidade furtiva. Em um mundo perfeito, a USAF voaria apenas caças stealth, mas quando se trata de equilibrar quantidade e capacidade, jatos stealth são muito caros para comprar e operar para que os EUA façam a transição para uma força somente stealth.

Outras vezes, os programas de caça não sobrevivem porque o Departamento de Defesa não acredita que o empreiteiro cumprirá o que promete, ou porque as capacidades oferecidas pela aeronave não são as que o país precisa urgentemente no momento.

Voo em formação do YF-22 e YF-23 durante avaliação da USAF.

Por alguma razão, esses caças não entraram em produção… mas se tivessem, cada um deles teria oferecido algumas capacidades incríveis e muitas vezes únicas.


5. F-16XL: O melhor F-16

Por mais de 40 anos, o F-16 Fighting Falcon serviu como a espinha dorsal da frota de caças da Força Aérea dos Estados Unidos, mas um ano antes de o primeiro F-16 entrar em serviço, a equipe por trás de seu desenvolvimento já havia desenvolvido um F-16 melhor, no F-16XL.

O caça era tão capaz, na verdade, que deixou de ser nada mais do que um demonstrador de tecnologia para servir como competidor legítimo para o venerável F-15E no programa Advanced Tactical Fighter (ATF) da USAF.

No final das contas, ele perderia para o F-15E com base no custo de produção e na redundância dos sistemas, mas muitos ainda afirmam que o F-16XL era na verdade a melhor plataforma.

Embora essa afirmação possa estar sujeita a debate, há pouco debate se o F-16XL poderia ter sido um dos caças de 4ª geração mais capazes do planeta.

Saiba mais sobre o F-16XL aqui.


4. A-12 Avenger II: o primeiro verdadeiro caça stealth dos EUA

Em 13 de janeiro de 1988, uma equipe conjunta da McDonnell Douglas e da General Dynamics assinou um contrato de desenvolvimento para o que viria a ser o A-12 Avenger II, que não deve ser confundido com o A-12 proposto pela Lockheed na década de 1960, que buscava armar um jato irmão SR-71 com sistemas de armas ar-ar.

Depois de concluído, o A-12 da Marinha teria um design de asa voadora reminiscente do B-2 Spirit da Northrop Grumman ou do próximo B-21 Raider, embora muito menor.

Embora o A-12 Avenger II utilizasse um desenho de asa voadora, sua forma geral diferia do B-2 Spirit triangular em desenvolvimento para a USAF.

A forma triangular acentuada do A-12 acabou ganhando o apelido de “o Dorito voador”.

Por algum tempo, parecia que o programa A-12 Avenger II estava saindo sem problemas, mas então, aparentemente sem aviso, foi cancelado pelo secretário de Defesa (e futuro vice-presidente dos Estados Unidos) Dick Cheney em janeiro de 1991.


3. YF-12: O maior e mais rápido caça da história

O SR-71 Blackbird pode estar entre as fuselagens mais icônicas da Guerra Fria, mas este design incrivelmente rápido nem sempre foi concebido para servir apenas como um par de olhos voando alto.

Na verdade, uma variante do programa predecessor do SR-71, o A-12 voador mais rápido e mais alto, tinha na verdade um irmão caça-interceptador na forma do YF-12 e, eventualmente (pelo menos em teoria) o F-12B .

As maiores mudanças que o YF-12 viu em comparação com seu irmão A-12 foram na frente da aeronave, onde uma segunda cabine foi adicionada para um oficial de controle de fogo encarregado de gerenciar o arsenal ar-ar do interceptador.

O nariz também foi modificado para acomodar o radar de controle de fogo Hughes AN/ASG-18 que foi desenvolvido para uso no extinto programa XF-108.

Mas a mudança mais importante entre o A-12 e o YF-12 veio nas quatro baias projetadas originalmente para abrigar câmeras, filmes e outros equipamentos de reconhecimento poderosos. Um dos quatro compartimentos foi convertido para abrigar equipamentos de controle de fogo, enquanto os outros foram modificados para abrigar uma carga útil interna de três mísseis ar-ar Hughes AIM-47 Falcon.

Para saber sobre o YF-12, clique aqui.


2. ASF-14, o Super Tomcat para o século 21

Enquanto o F-14D assumia o título de “Super Tomcat”, o esforço para modernizar o F-14 começou com o apelido de “ST21”, que, apropriadamente, significava “Super Tomcat para o século 21”, e não se engane – isso é exatamente o que poderia ter sido, com aviônicos aprimorados, mais potência, mais alcance e mais capacidade em toda a linha.

Mas enquanto o ST21 e o AST21 eram faturados como programas de re-manufatura para Tomcats existentes junto com aeronaves recém-construídas, a apresentação de Grumman para a Marinha dos EUA eventualmente incluiu um Tomcat inteiramente novo apelidado de ASF-14.

O ASF-14 teria se parecido com seus predecessores F-14, mas as semelhanças seriam em grande parte superficiais.

O ASF-14, com cerca de 60.000 libras de empuxo e uma relação empuxo-peso melhor do que o F-14D, controle vetorial de empuxo, enormes depósitos de combustível interno, enormes capacidades de carga útil e incrível consciência situacional fornecida por um poderoso radar a bordo e um grande quantidade de pods com sensores, poderia ter sido um caça de 4ª geração com poucos – ou talvez nenhum – pares até hoje.

Saiba mais sobre o ASF-14 aqui.


1. YF-23: O Raptor encontra seu par

Na década e meia desde que entrou em serviço pela primeira vez, o Lockheed Martin F-22 Raptor foi um caça de superioridade aérea sem igual, mas nem sempre foi assim. Por um curto período na década de 1990, o YF-22 que levaria ao F-22 operacional pode ter encontrado seu rival na forma do YF-23 da Northrop.

Dois protótipos YF-23 foram finalmente construídos. O primeiro, apelidado de Black Widow II pelos envolvidos no programa, era todo preto e movido por um par de motores Pratt & Whitney que permitia ao jato supercruzar a Mach 1,43 durante sua primeira rodada de testes em 1990.

O segundo YF-23, pintado de cinza e apelidado de “Gray Ghost”, mudou para os motores General Electric YF120, que ofereciam capacidades de supercruise aprimoradas, atingindo Mach 1.6 nos testes, apenas ultrapassando o Mach 1.58 do YF-22.

No final das contas, enquanto o YF-23 poderia quase igualar as acrobacias do F-22, a Lockheed venceu a guerra de percepção ao demonstrar as capacidades de seu caça de uma forma mais dinâmica. Os pilotos de teste da Lockheed mostraram a capacidade da aeronave de utilizar um alto ângulo de ataque, disparar mísseis e executar manobras que colocaram mais de 9 Gs de força na estrutura.

Embora o YF-23 pudesse ter feito o mesmo, a Northrop não o fez na demonstração. Muitos afirmam que foi essa habilidade de vendas, em vez de recursos estritamente de plataforma, que ajudou o YF-22 a se destacar nas mentes dos oficiais de defesa.

Para saber mais sobre o YF-23, clique aqui.



Source link

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Main Menu