Dude with a Sign e seus recados de US$ 300 mil (it’s NYC, babe)


NOVA YORK – Em agosto passado, a Casa Branca contratou influenciadores digitais para engrossar a campanha de vacinação contra a covid entre jovens e adolescentes americanos. Entre eles estava Seth Phillips, um nova-iorquino acompanhado por quase oito milhões de seguidores no Instagram e mais conhecido como Dude With a Sign (“o cara com o cartaz,” pra quem não fez Maple Bear).

Seth tem 26 anos, é alto, magro, loiro e de cabelo encaracolado. Uma ou duas vezes por semana, faça sol ou zero grau, ele se posta numa esquina (normalmente no SoHo), e levanta uma mensagem sarcástica no que é provavelmente o outdoor mais influente e pessoal do mundo. São poucas palavras, escritas a mão, sobre um pedaço de papelão.

Sempre usando óculos escuros estilo aviador, Seth levanta o cartaz com os dois braços. Nunca sorri, nunca olha para a câmera. Está dado o recado.

Lançado em outubro de 2019, o perfil já publicou mais de 200 posts que ora capturam o inconsciente coletivo, ora distribuem recomendações para a vida em sociedade – nunca se abstendo de mandar a real.

“Ninguém se importa com a marca da sua vacina.”

“Nem todo mundo precisa de um podcast.”

“Se eu te convidar, não me pergunte quem vai.”

“Pare de levantar do assento quando o avião pousar.”

“Ninguém precisa chegar no aeroporto com três horas de antecedência.”

E mais:

“Seu cachorro não quer usar roupa.”

“Pare de grunhir na academia de ginástica.”

“Pare de postar fotos das suas reuniões no Zoom.”

“Falar ‘fica calmo’ não funciona.”

Mais de 20 marcas já descobriram o poder do ‘dude’. Entre elas a BMW, Bud Light, Spotify, Smirnoff, Monday.com e ainda o desodorante Old Spice (ideal para quem trabalha de braços levantados) e as camisinhas Durex.

Uma publicitária de Nova York, contratada por uma agência multinacional exclusivamente para lidar com influenciadores digitais, disse ao Brazil Journal que o preço pago a cada um deles varia dependendo do trabalho e do alcance entre seus seguidores.

“Para o Dude with a Sign paga-se seis dígitos, algo entre US$ 100 mil e US$ 300 mil, para dois posts e duas postagens no “Stories” do Instagram. Qualquer influenciador com alcance similar, nos milhões, vai sugar uma quantia dessa magnitude, mesmo para pedidos de poucas postagens,” disse ela.

As mensagens publicitárias seguem o mesmo tom irônico, e o ‘dude’ aparece com seu cartaz em locações diversas, incluindo o Super Bowl (numa campanha da Bud Light); num banheiro, para divulgar o papel higiênico Charmin; e de cueca na rua, para a marca de underwear Saxx.

Para a campanha do governo, Seth foi fotografado nos jardins da Casa Branca com o cartaz “Vamos cuidar uns dos outros e se vacinar”. A seu lado, Joe Biden, também de óculos escuros, segurava outro cartaz, dizendo: “This ‘dude’ gets it, folks.”

Publicado em agosto, o post bateu recorde de reações, ultrapassando 2 milhões de likes.

A carreira de Seth não começou assim.

Nascido numa cidadezinha do Texas e formado em marketing, ele se mudou para Nova York para trabalhar na Jerry Media, a agência de marketing digital que talvez seja a maior produtora profissional de memes da internet.

Em 2019, o fundador da empresa, Elliot Tebele, publicou uma foto de Seth na frente de um outdoor do seriado Friends. O cartaz do ‘dude’ dizia: “Seinfeld é muito melhor”.

A reação viral na internet fez com que a dupla criasse um perfil só para isso, e o Dude with a Sign estreou com a seguinte mensagem: “Parem de ‘responder para todos’ no email da empresa.” A unanimidade global deste apelo colocou Seth no mapa.

O jovem e seu cartaz já apareceram em shows de auditório como Ellen e Jimmy Fallon. Ele entra mudo e sai calado, sempre com um recado no papelão. Seu perfil também já virou jogo de tabuleiro, cartão de aniversário vendido em papelarias descoladas e calendário de 2022.

Pouco antes do Natal, o dude fez outro desabafo: “F* You Omicron”.





Source link

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Main Menu