Drones MQ-9 Reaper dos EUA retornam para Grécia – Cavok Brasil

Drones MQ-9 Reaper dos EUA retornam para Grécia – Cavok Brasil


Veículos aéreos não tripulados MQ-9 Reaper das forças armadas americanas estarão operando nas próximas semanas a partir da 110ª Ala de Combate da Força Aérea Helênica, na Base Aérea de Larissa, na Grécia.

Os MQ-9 estão retornando depois de quase um ano e meio para instalações que foram atualizadas sob o Acordo de Cooperação de Defesa Mútua EUA-Grécia (MDCA).

Os EUA estão investindo um total de US$ 33,5 milhões na base, para que a 110ª Ala de Combate possa hospedar plataformas tecnologicamente avançadas agora e no futuro.

Embora a missão MQ-9 esteja ligada a missões de vigilância na região do Mediterrâneo, o seu alcance (1.850 quilômetros) permite também a sua utilização para missões da OTAN a países costeiros ao Mar Negro (Bulgária, Romênia), com o objetivo de monitorizar a situação na Ucrânia.

Para a Força Aérea Helénica, a presença dos MQ-9 tem um significado acrescido, dadas as negociações em curso para o fornecimento dos UAVs à Grécia entre Atenas e o Pentágono.

A Força Aérea Helênica quer adquirir três UAVs MQ-9 e uma estação de comando que os controlará através do programa de Vendas Militares Estrangeiras (FMS).

A Força Aérea dos EUA normalmente usa seis MQ-9s por posto de comando; no entanto, os gregos consideram que três UAVs desse tipo são suficientes para atender às necessidades de vigilância do país.

Ao mesmo tempo, também estão em andamento discussões com Israel para o fornecimento de UAVs israelenses, especificamente o tipo mais avançado de Heron (MK II ou Heron TP), que também pode realizar missões ofensivas.

A experiência até agora com o Heron, que foi subarrendada à Força Aérea Helênica e opera a partir de Skyros, foi considerada satisfatória.

Enquanto isso, o comportamento da Turquia no mar Egeu está justificando os movimentos da Grécia para fortalecer as capacidades de dissuasão de sua força aérea.

Na quarta-feira, caças da Força Aérea turca retomam sobrevoos em território grego, levando a uma série de interceptações e combates simulados.



Source link

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Main Menu