CRM&Bonus compra o ChefsClub para criar o ‘Gympass do giftback’

CRM&Bonus compra o ChefsClub para criar o ‘Gympass do giftback’


A CRM&Bonus – que gere programas de giftback de varejistas – acaba de comprar o ChefsClub, uma aquisição pequena mas estratégica que vai ajudar a empresa a colocar de pé o que o fundador Alexandre Zolko chama de ‘Gympass do giftback.’

Zolko fundou a CRM&Bonus em 2018 para substituir aquele papelzinho que o lojista entregava ao cliente com um desconto para a próxima compra. 

Alexandre zolkoCom o software da CRM&Bonus, o varejista passou a oferecer esse desconto de forma digital, enviando um SMS ao cliente. (Dá uma olhada no app de mensagens do seu celular.)

Mais importante ainda, o lojista passa a ter um controle sobre todo o processo: quantos clientes receberam o desconto em cada uma de minhas lojas? Quantos de fato usaram? Quanto isso gerou de vendas incrementais?

Com esse modelo, a CRM&Bonus atende hoje 1.500 empresas, que juntas somam 20.000 lojas. No mês passado, ela fez um annual recurring revenue (ARR) de R$ 50 milhões com margem EBITDA de 70%. O plano é dobrar o ARR até dezembro. 

Agora, a startup está criando um novo produto chamado Vale Bônus, que será vendido ao RH das empresas e oferecido aos funcionários como um benefício. 

O Vale Bônus funciona como uma moeda que as empresas vão dar aos funcionários todo mês para trocar por descontos em lojas, sites e restaurantes.

“É um modelo no meio do caminho entre a Méliuz e o giftback tradicional da CRM&Bônus,” disse Zolko, que fundou a marca MyShoes quando tinha 23 anos e a vendeu no ano passado à Arezzo&Co. 

A aquisição da ChefsClub vai ao encontro dessa nova estratégia. O plano de Zolko é plugar os 3.000 restaurantes que já são parceiros do ChefsClub nesse novo aplicativo, acelerando um processo que poderia levar meses. 

A aquisição, de 100% do capital, é pequena, mas o valor pode subir com um earnout vinculado à conversão dos restaurantes do ChefsClub para o Vale Bônus e o produto de giftback tradicional. 

Se os executivos da ChefsClub converterem 60% da base, o valor da transação dobra; se converterem 100%, triplica.

Fundado em 2012, o ChefsClub atingiu seu auge em 2019, mas sofreu uma queda vertiginosa nos anos de pandemia. Antes da covid, a startup faturava em torno de R$ 1 milhão por mês com dezenas de milhares de assinantes. 

Agora, essa receita despencou para R$ 200 mil/mês – enquanto o custo mensal com a folha de pagamento é de mais de R$ 300 mil. A CRM&Bonus vai incorporar apenas 30 dos 50 funcionários do ChefsClub, o que já deve garantir o breakeven.

A aquisição da ChefsClub é a primeira desde que a CRM&Bônus levantou R$ 280 milhões numa rodada com o Softbank e Riverwood no final do ano passado, que avaliou a empresa em R$ 1 bilhão. 

Segundo Zolko, o caixa até aumentou de lá para cá dado que a empresa é geradora de caixa.




Source link

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Main Menu