A Tok&Stok não pagou o aluguel. Mais um varejista em crise?

A Tok&Stok não pagou o aluguel. Mais um varejista em crise?



O fundo imobiliário Vinci Logística (VILG11) entrou hoje com uma ação de despejo contra a Tok&Stok, a inquilina de um de seus galpões logísticos. 

A empresa ainda não pagou o aluguel que venceu no início do mês.

A notícia sinaliza um potencial problema de caixa em uma das maiores varejistas de móveis do Brasil.

O galpão afetado é o Extrema Business I, que fica em Extrema, a capital dos galpões que fica perto da fronteira de Minas Gerais com São Paulo. 

O imóvel é locado exclusivamente para a Tok&Stok e representa 14% das receitas do VILG11 e 11% de sua área bruta locável. O fundo imobiliário tem outros 15 galpões no portfólio. 

A Tok&Stok aluga o galpão desde 2020 – e esta é a primeira vez que a companhia deixou de pagar o aluguel em dia. 

Para o VILG11, o impacto é significativo, mas o contrato tinha uma série de garantias que devem ajudar o fundo a absorver o golpe. O contrato com a Tok&Stok tem duração de 10 anos e um seguro-fiança com cobertura equivalente a doze aluguéis vigentes.

Além disso, segundo uma fonte próxima ao fundo, o galpão é novo e está em uma região onde a demanda está crescente. “Não acho que vamos ter dificuldade para achar outro locatário,” disse. 

Na ação de despejo, a Tok&Stok tem o direito de pagar o aluguel, acrescido de uma multa, para conseguir manter o contrato. 

O VILG11 tem um patrimônio líquido de R$ 1,65 bilhão. A cota fechou o dia em R$ 90,77, um desconto de 19% em relação ao valor patrimonial. 

A notícia saiu depois que o mercado já havia fechado.




Source link

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Main Menu